XII Seminário Nacional de Milho Safrinha chega ao fim

Depois de três dias, 26 a 28 de novembro, reunidos no auditório da UFGD, em Dourados, com o objetivo de debater os problemas e as dificuldades técnicas, econômicas e políticas inerentes ao milho safrinha, especialistas, pesquisadores, técnicos de todo o país encerram as atividades, satisfeitos com os resultados do evento.



O coordenador do evento e engenheiro agrônomo da Embrapa, Gessi Ceccon, explica que o Seminário chegou ao fim e que depois de dois dias de atividades, os participantes estão com informações padronizadas nas mais diversas áreas de conhecimento, de forma multidisciplinar e interdisciplinar. "Acreditamos que nesse momento, os profissionais, que participaram do evento, estarão falando a mesmo língua, em termos de tecnologias de produção sustentável de milho. Assim, alguns mitos foram superados e novas verdades continuarão se multiplicando entre nós", enfatizou Gessi.



Para o presidente da Associação Brasileira de Milho e Sorgo (ABMS), Paulo César Magalhães, o evento foi muito bom. O Seminário reuniu pesquisadores, professores técnicos e estudantes das diversas regiões produtoras de milho safrinha do país, tais como: Maranhão, São Paulo, Goiás, Mato Grosso, Maranhão-Piauí-Tocantis, além de Mato Grosso do Sul. “Nossa expectativa foi a de realizar um evento que proporcionasse novas oportunidades de pesquisa, de informações, de negócios, bem como maior produtividade da cultura e pela qualidade dos pôsteres apresentados os resultados foram alcançados”, destacou Magalhães.



A próxima edição do Seminário Nacional de Milho Safrinha acontece em 2015, será realizada em Maringá/PR e coordenada pelo professor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Pedro Vidigal Soares Filho. Ele acredita que será um desafio promover o evento de grande relevância e disse que "o Departamento de Agronomia da UEM, se sentirá honrado em realizar a próxima edição do evento. Para a Universidade será um tempo de comemoração, pois naquele ano, o programa de Pós-Graduação em Agronomia, ira completará 20 anos da sua criação", enfatizou. Segundo Pedro, Maringá é uma cidade moderna, jovem, com 66 anos. Maringá é um dos principais produtores do milho safrinha, o que justifica sua escolha.

Christiane Congro Comas (Mtb-SC 00825/9 JP) - Colaboração: Gilberto Nascimento
Atualizada em 29/11/2013
 voltar