Dourados - Dourados/MS[22º16'30"S, 54º49'00"W, 408m]
Definir Estação:


star JavaScript não habilitado


Identificamos que o JavaScript está desabilitado em seu navegador. Para correto funcionamento do site, solicitamos que ative o JavaScript de seu browser.


Boletim
Houve Grande Variação na Quantidade de Chuva na Região Sul de Mato Grosso do Sul em Março de 2017

Choveu 99 mm em Dourados em março de 2017. Houve grande variação do total de chuva na região sul de Mato Grosso do Sul. Campo Grande foi o município com maior índice pluviométrico, enquanto em Amambai ocorreu o menor. Os solos da região estiveram sempre com níveis satisfatórios de umidade. A temperatura média foi mais de meio grau superior à média histórica. A temperatura mínima na região sul de Mato Grosso do Sul foi registrada em Amambai, enquanto a máxima ocorreu em Rio Brilhante.

Previsão CPTEC/INPE


Balanço Hídrico

    É um método de cálculo que determina os ganhos e as perdas hídricas de um solo vegetado. Com essa ferramenta é possível monitorar se as condições de umidade e a água disponível do solo estão adequadas para as culturas em um dado momento, inclusive em tempo real ou próximo disso.

   As informações obtidas no balanço hídrico permitem auxiliar na definição de épocas mais adequadas para a semeadura, assim como na estimativa de produção das culturas.

   O balanço hídrico é uma ferramenta que pode ser utilizada,  principalmente, por produtores e profissionais da área agrícola como suporte para a tomada de decisões.

Saiba como calculamos o Balanço Hídrico



Fechar

O balanço hídrico deste site é do tipo sequencial diário e é calculado com base nos seguintes critérios:

1. Evapotranspiração de referência (ET0): calculada pelo método Penman-Monteith     FAO;

2. Precipitação Efetiva (Pe): estimada pelo método Número da Curva;

3. Capacidade Total de Água no Solo (CTA): definida em 83 mm para a camada 0 a 1,0 m, com base em curvas de retenção de solos da região de Dourados, considerando a umidade gravimétrica de 32,3%, tensão 10 kPa (capacidade de campo), e de 25,4%, tensão 1,5 MPa (ponto de murcha), com densidade do solo de 1,23 g/cm³;

4. Coeficiente de cultivo (Kc): estabelecido para cada cultura e fase de desenvolvimento da mesma;

5. Coeficiente de estresse hídrico (Ks): estimado pelo método linear;

6. Evapotranspiração real (ETr) = ET0 Kc Ks;

7. Profundidade efetiva: com crescimento linear diário, da profundidade inicial até à máxima;

8. Considera-se que o solo estava na capacidade de campo no dia anterior ao início do cálculo;

9. Havendo excesso hídrico, o solo necessita de um dia para atingir a capacidade de campo.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Todos os direitos reservados, conforme Lei no. 9.610.
Política de Privacidade. cpao.sac@embrapa.br
 
Embrapa Agropecuária Oeste
BR 163, km 253,6 - Caixa Postal 449
CEP 79804-970 - Dourados, MS
Telefone: (67) 3416-9700 Fax: (67) 3416-9721